Aiiii, que azia nos olhos!!

Todo mundo que escreve um texto acadêmico busca a publicação dele. Seja um TCC, um artigo, uma monografia, uma dissertação ou uma tese, a publicação é a meta. Imaginem publicar um texto cheio de “erros de português”? Isso tira a credibilidade do texto e, principalmente, do autor do texto. Na carona dessa “incredibilidade”, também vai o orientador, que, mesmo cheio de tarefas, orientando vinte ou trinta ao mesmo tempo, acaba, também, levando a culpa pela produção mal escrita.

Há bancas que não perdoam e sentam o sarrafo no texto mal escrito. Ler um texto assim é sentir a legítima “azia nos olhos”, faz até mal para o leitor, que se sente incomodado. Mesmo não entendendo tanto de gramática, qualquer leitor está apto a se incomodar muito com um texto mal escrito, seja porque não consegue compreendê-lo, seja porque o cérebro se incomoda em ver palavras escritas numa ortografia errada ou frases que não fazem o mínimo sentido.

A revisão textual serve justamente para resolver esses problemas e deixar seu texto “descendo redondo”, sem dar azia aos olhos de quem lê.

Revisão é investimento, inclusive, na sua carreira como escritor, pois, quem lança qualquer coisa, demonstra que É qualquer coisa.